Visita da fábrica ECOSLOPS no Porto de Sines (07.03.2014) [fr]

A ECOSLOPS foi criada em 2009 por Michel Pingeot, com o apoio da sociedade de capital-risco Gemmes Venture. A empresa tem por objectivo posicionar-se como actor eficaz na eliminação da poluição marinha gerada pelos líquidos hidrocarbonetos largados no mar pelos navios. A sociedade desenvolve assim instalações industriais que correspondem ao desafio da recolha e do tratamento dos resíduos de petróleo gerados pelos navios de carga.

O encontro iniciou-se por uma apresentação da solução inovadora desenvolvida pela ECOSLOPS que permite explorar e valorizar os resíduos de petróleo transformando-os em carburantes marinhos conformes ao ISO 8217 graças a uma unidade de reciclagem chamada OW2P (Oil Waste Processing Plant). Esta reunião celebrou igualmente a inauguração de um acordo de cooperação entre o Instituto do Emprego e Formação Profissional português (IEFP) e a sociedade ECOSLOPS, com o fim de responder às necessidades de qualificação identificadas no domínio do tratamento das águas, através de formações profissionais destinadas a 50 activos, entre os quais desempregados mas também empregados da ECOSLOPS.

O Embaixador visitou seguidamente as instalações da ECOSLOPS, actualmente em obras, que terão no início do seu funcionamento, a capacidade de produzir 100 toneladas de combustível naval por dia, tratando aproximadamente 200 toneladas de óleos residuais.

Esta visita ao terreno seguiu-se com uma reunião com o Director do Porto de Sines, João Franco, e com o seu Administrador.

O Porto de Sines, situado a 150 km ao Sul de Lisboa, é o principal porto português. Construído em 1978, o porto em águas profundas de Sines é não só o primeiro exportador de Portugal (5,4 milhões de toneladas exportadas em 2011), mas também a principal porta de aprovisionamento energético do país, designadamente graças ao seu terminal de gaz natural liquidificado e ao seu terminal de líquidos de todos os géneros (petróleo bruto, produtos refinados…). Além disso, o Porto de Sines possui um terminal de contentores utilizado pelos principais armadores mundiais, entre os quais o francês CMA CGM, 3° grupo mundial de transporte marítimo de contentores.

Em 2013, o porto registou um crescimento anual de 28% do frete total, com 36,5% milhões de toneladas de mercadorias em trânsito. O aumento das exportações de combustíveis, por causa da nova refinaria da Galp, é um dos principais motores deste crescimento. Os portos comerciais do Algarve também estão, desde 2014, associados à Administração do Porto de Sines (APS). Este crescimento continua a ser prometedor a médio e longo prazo tanto mais que a extensão do terminal de contentores (Terminal XXI) faz parte das primeiras prioridades dos investimentos públicos portugueses em infra-estruturas (2014-2020) e deverá ser concluído até 2016.

Durante este encontro, o Embaixador abordou a estratégia de desenvolvimento do Porto de Sines com o seu Director, especialmente no âmbito do projecto de extensão do Terminal XXI que poderia permitir, num futuro próximo, tratar 4 a 5 milhões de contentores por ano. João Franco precisou contudo que a logística naval deverá ainda ser melhorada.

publicado em 18/03/2014

Princípio da página