Prémio franco-alemão dos Direitos Humanos e do Estado de Direito (21.11.2018) [fr]

Jean-Yves Le Drian, Ministro da Europa e dos Negócios Estrangeiros, e o seu homólogo alemão, Heiko Maas, anunciaram hoje, 21 de novembro, os galardoados do prémio franco-alemão dos Direitos Humanos e do Estado de Direito.

Os dois ministros afirmaram, nesta ocasião : «no ano em que celebramos o 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a França e a Alemanha prestam homenagem a 15 personalidades que defendem de maneira corajosa os direitos humanos em todo o mundo. É através destas personalidades que os dois países distinguem todos os defensores de direitos, cujo trabalho é muitas vezes ignorado e dificultado, e exprimem o seu reconhecimento a todos os que trabalham diariamente para que a Declaração não seja letra morta».

Desde 2016, o prémio é atribuído todos os anos a personalidades que contribuíram de modo excepcional para a protecção e promoção dos Direitos Humanos e do Estado de Direito nos seus países e a nível internacional. Este prémio lembra o empenho permanente da França e da Alemanha em prol dos Direitos do Homem e do Estado de Direito e contribui para reforçar a cooperação entre os dois países neste domínio.

Os premiados da edição 2018 do Prémio franco-alemão dos Direitos Humanos e do Estado de Direito são:

- Vuyiseka Dubula-Majola (África do Sul);
- Chak Sopheap (Camboja);
- Wensheng (China);
- Aminata Traoré (Costa do Marfim);
- Mohamed Lotfy (Egipto);
- Alfredo Okenve (Guiné Equatorial);
- Nityanand Jayaraman (Índia);
- Hessen Sayah Corban (Líbano);
- Mekfoula Mint Brahim (Mauritânea);
- Liz Chicaje Churay (Peru);
- Oyub Titiev (Rússia);
- Anwar al-Bunni (Síria);
- Daoud Nassar (Territórios palestinianos);
- Sirikan Charoensiri (Tailândia);
- Susana Raffalli Arismendi (Venezuela).

Fonte: France Diplomatie

JPEG

publicado em 21/11/2018

Princípio da página