Inauguração da EXPO CLIMA 360° no Porto (20.07.2017) [fr]

A Exposição CLIMA 360°, criação original de Universcience (Paris, Cité des Sciences de La Villette) aborda o tema das Alterações Climáticas causadas pelas emissões dos gases com efeito de estufa resultante das actividades humanas, proporcionando uma melhor compreensão do sistema climático através das últimas observações, simulações e análises de vários cientistas. A exposição alerta também para a importância da mobilidade sustentável, da economia de baixo carbono e para os impactos sociais das alterações climáticas.

Dada a importância de que o tema se reveste, a Exposição inicialmente apresentada em Paris, no contexto da 21ª Conferência Mundial sobre Clima (COP21) e do Acordo de Paris, tem circulado por todo o mundo, nomeadamente em Portugal onde já foi apresentada em Lisboa e Évora, e chega agora ao Porto. Esta Exposição pretende equacionar os vários aspectos do processo das Alterações Climáticas na sequência da última Conferência Mundial do Clima (COP22) que teve lugar em Novembro de 2016 em Marraquexe e na perspectiva dos próximos desafios a enfrentar para implementar o Acordo de Paris.

A Exposição CLIMA 360°, que estará patente no Porto até o dia 30 de Setembro, é fruto de uma parceria entre a AMI - Assistência Médica Internacional, a Embaixada de França, o Instituto Francês de Portugal e a Universidade de Lisboa - Programa Doutoral em Alterações Climáticas e Políticas de Desenvolvimento Sustentável e Instituto de Ciências Sociais -.

A Exposição está organizada em quatro vertentes a que se acrescentou mais uma especificamente sobre Portugal:
1) Aquecimento global: diagnóstico e impactos;
2) As causas do aquecimento global e a responsabilidade humana;
3) Os cenários de emissões de gases com efeito de estufa e a evolução do clima;
4) O planeta à procura de soluções para o desafio climático.
Por fim, integra dados e cenários centrados em Portugal, a partir de estudos científicos apresentados de forma inédita e apelativa.

Para não se fazer como a avestruz

Será que ainda há alguma dúvida? Não. Primeiro, a Terra tem vindo a aquecer desde há mais de um século. Segundo, durante este tempo, as concentrações de gases com efeito de estufa (GEE) aumentaram na atmosfera. Terceiro, este aumento coincidiu com o desenvolvimento das actividades humanas geradoras de GEE (energia, transportes, indústria…).
Perante esta constatação, que futuro nos espera? Sem a ajuda de uma bola de cristal, as previsões dos climatologistas são as únicas ferramentas para compreender a evolução futura do clima. E impõe-se um resultado: se os nossos modos de produção e de consumo não forem alterados, é previsível que haja uma perda do controlo e, como consequência, uma desregulação do clima e uma série de cenários catastróficos inerentes.
Então, o que fazer? A “Adaptação” e a “Mitigação” são duas palavras de ordem das políticas climáticas duramente negociadas nas cimeiras internacionais. Mas estaremos nós, tanto no Norte como no Sul, preparados para entrar num mundo “descarbonizado”? Na sequência da já referida 22ª Conferência Mundial sobre o Clima (COP22), esta exposição pretende colocar na mesa todos as peças do processo. Uma vista panorâmica de 360°, para não se fazer como a avestruz.

A inauguração da Exposição Clima 360°, que contou com a participação de Fernando Nobre, Presidente da Fundação de Assistência Médica Internacional (AMI), teve lugar, às 18h30 no dia 20 de Julho, na Galeria AMIarte no Porto, rua da Lomba 153-159, perto da estação de Campanhã.

Para mais informações contactar :
(+351) 225 100 701 ou amiarte@ami.org.pt

PNG

publicado em 21/07/2017

Princípio da página