A cooperação franco-alemã

No âmbito da cooperação entre os Estados-Membros da UE, a parceria franco-alemã assume um lugar de destaque, graças à sua história, intensidade e configuração institucional. Existe uma parceria exemplar que une a França e a Alemanha, que também se evidencia no número crescente de iniciativas conjuntas no âmbito da política externa.

A Alemanha e França colaboram, igualmente, de forma estreita em termos de política de segurança. A criação da Brigada Franco-Alemã foi, em primeiro lugar, um símbolo que demonstra a vontade de ambos os países de cooperarem no âmbito da política militar. Juntamente com o Eurocorps, ela é vista como núcleo das eventuais forças armadas europeias no seio da Política Comum de Segurança e Defesa (PCSD).

O alicerce da parceria: o Tratado do Eliseu

Em 1963, a cooperação bilateral assumiu um carácter contratual mediante o Tratado do Eliseu. A todos os níveis do foro político, económico e social foram fomentadas relações diversificadas e estreitas.

A 22 de janeiro de 2013, celebrou-se o 50.º aniversário do Tratado do Eliseu. Por ocasião dessa efeméride, a Chanceler Federal Angela Merkel e o ex-Presidente francês, François Hollande lançaram o "Ano franco-alemão", a 22 de setembro de 2012, em Ludwigshafen. No mesmo local, Charles de Gaulle tinha proferido, 50 anos antes, o seu famoso "Discurso à juventude alemã". Juntamente com a missa de reconciliação de 8 de julho de 1962, tratou-se do ponto de partida para um desenvolvimento ímpar da amizade franco-alemã depois da Segunda Guerra Mundial.

Conselhos de Ministros franco-alemães

Na Declaração Conjunta do 40.º aniversário da assinatura do Tratado do Eliseu, a 22 de janeiro de 2003, estabeleceu-se que as consultações governamentais (cimeiras), realizadas semestralmente desde o Tratado do Eliseu em 1963, passariam a realizar-se sob a forma de conselhos de ministros franco-alemães.

Os conselhos de ministros permitem coordenar ao mais alto nível político a colaboração franco-alemã. Nos respectivos conselhos são estabelecidos temas prioritários (em geral, dois por cada conselho de ministros: um tema incide mais sobre a economia, o outro sobre a sociedade civil em ambos os países.)

Uma rede única de estruturas conjuntas

Atualmente, as estruturas e instituições franco-alemãs constituem uma rede com características únicas, que também assenta nos estreitos laços pessoais que se foram criando entre os cidadãos de ambos os países ao longo de décadas: as numerosas parcerias entre cidades e regiões são disso um exemplo.

É necessário que estas ligações se mantenham, sobretudo, junto da geração mais nova. Nesse sentido, além da cooperação política, é premente que se continue a dar uma particular importância a iniciativas que envolvem a sociedade civil, nomeadamente, criando incentivos ao ensino das línguas, ao intercâmbio de jovens e no sector da educação.

- Saiba mais sobre as relações franco-alemãs em France Diplomatie.

JPEG - 118.4 kb
Jean-Yves Le Drian, Ministro da Europa e dos Negócios Estrangeiros de França (à direita), e Heiko Maas, Ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha
© MEAE/Frédéric de La Mure

Actualizado em: 28/10/2019

Topo de página