A França vista por Isabel Silveira Godinho (19.03.2014) [fr]

Condecorada com as insígnias de «Officier de l’Ordre National du Mérite» em 1987, aquando da visita de Estado do Presidente François Mitterrand a Portugal, Isabel Silveira Godinho, ex-directora do Palácio Nacional da Ajuda, aceitou dar a sua opinião sobre a França respondendo ao seguinte questionário:

- Qual é a sua cidade/região francesa preferida?

Paris, onde comecei a ir desde muito nova, para visitar a cidade, museus, palácios e ir a concertos, ao teatro, à ópera e ao bailado. Quando nos anos 90 o meu marido foi Embaixador junto da OCDE, não tive o privilégio de viver em Paris, pois a minha situação profissional no Palácio Nacional da Ajuda não mo permitia. Ia com alguma frequência, cheguei a trabalhar no Musée des Arts Décoratifs com os conservadores meus amigos no estudo da colecção de relógios do Palácio, cujo resultado foi a exposição “Temps Royal” que foi apresentada no Palácio da Ajuda em Lisboa e em Genève no Musée de l’Horlogerie. Ir a Paris é sempre um enorme prazer, e espero voltar muito em breve.

- Qual é o seu filme/actor francês preferido?

O meu actor preferido é Gérard Depardieu, que conheço pessoalmente, pois fez o papel de Carlos V num filme em parte rodado no Palácio da Ajuda. É um óptimo actor, um homem cheio de sensibilidade, um grande profissional e também um grande produtor de vinho.

- Qual o seu livro/autor francês preferido?

É difícil escolher um só livro. “Le Petit Prince”, de Saint-Exupéry, e Maurice Rheims, “La vie étrange des objets”.

- Qual é a sua música/cantor francês preferido?

Como gosto muito de ópera, tenho de escolher “Carmen”, de Bizet. Mas posso acrescentar Edith Piaff e Charles Aznavour.

- Qual o seu prato francês preferido?

Gosto muito de “canard à l’orange”, “ratatouille”, “bisque” e todas as sobremesas...

- Quais os adjectivos que utilizaria para descrever a França?

País onde gostaria de viver! Isto diz tudo...

- Que voto formula para as relações franco-portuguesas?

Que as relações franco-portuguesas fossem mais estreitas, e que os dois Países fizessem esforços nesse sentido. As exposições de museus franceses em Portugal e vice-versa seriam uma boa aposta cultural, que propus, não só ao Presidente Mitterrand, mas também ao Presidente Chirac. A minha geração viveu a aprender francês como segunda língua, a conviver com a sua arte, literatura, cultura, gastronomia, etc., etc. Só posso agradecer aos meus Pais a educação que me deram, em que a França era um exemplo.

O Círculo Voltaire, de que fui Vice-Presidente, foi criado para estreitar as relações Portugal - França. Era bom dar continuidade a este projecto, iniciado na Embaixada de França com a colaboração do próprio Embaixador, de Antonio Maria Pereira, Marcelo Rebelo de Sousa e eu própria. Infelizmente, a morte do Dr. António Maria Pereira acabou por trazer um fim extemporâneo a esta organização. Seria bom dar continuidade a este projecto, mas para isso precisamos do apoio do Embaixador de França.

PNG

Actualizado em: 29/10/2014

Topo de página